Entrada Recomendações

Recomendação N.º9/PE/2016 - Page 10

Recomendações do Provedor do Estudante
Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
Indíce do artigo
Recomendações do Provedor do Estudante
Recomendação N.º1/PE/2010
Recomendação N.º2/PE/2010
Recomendação N.º3/PE/2010
Recomendação N.º4/PE/2011
Recomendação N.º5/PE/2011
Recomendação N.º6/PE/2011
Recomendação N.º7/PE/2011
Recomendação N.º8/PE/2016
Recomendação N.º9/PE/2016
Recomendação N.º10/PE/2016
Recomendação N.º11/PE/2016
Todas as páginas

Recomendação N.º9/PE/2016

 

Ao analisar o processo relativo a um aluno do Curso de Enfermagem, verificamos um conjunto de situações relativas aos critérios que sustentam a avaliação escolar do respetivo aluno, sobre os quais importa refletir e que fundamentam, globalmente, a presente Recomendação. 

Nestes termos, a Provedoria recomenda a todos os docentes uma particular atenção, na informação e clarificação dos critérios definidos para a avaliação, formativa e sumativa dos alunos, bem como a definição de um canal de comunicação comprovadamente seguro. 

Consideramos, por outro lado, que os trabalhadores estudantes, por beneficiarem de um estatuto diferenciado, os docentes, em conjunto com os discentes, devem assegurar que os instrumentos de comunicação são devidamente eficazes e eficientes, no que se refere à transmissão de informações respeitantes à dinâmica do processo de ensino-aprendizagem. 

Em face da presente situação, a Provedoria sugere aos docentes, sobretudo quando refletimos sobre alunos com estatuto próprio, que os mesmos sejam antecipadamente informados sobre as diversas formas, critérios e objetivos, que traduzem o processo avaliativo. Assim, poderemos promover uma maior consciencialização e parcimoniosamente exigir uma elevada responsabilização das suas atitudes e comportamentos, prevenindo o possível desenvolvimento de situações complexas, cuja resolução implica custos a vários níveis de competência e responsabilidade.