Entrada

UMa - Student's Ombudsman

O Provedor do Estudante da Universidade da Madeira

Nomeado pelo Conselho Geral a 15 de junho de 2015
 

 

Doutor João Gabriel Jardim Caldeira

 

Mensagem do Provedor do Estudante

Neste tempo do nosso tempo complexo, onde a educação se constitui como o agente crítico de transformação e adaptabilidade, gostaria de cumprimentar toda a academia, estudantes, docentes e não docentes da Universidade da Madeira, na procura constante de um ensino-aprendizagem de excelência, respondendo proativamente aos desafios de uma sociedade interativa, profundamente interdependente e universal, onde as ações se realizam num espaço-tempo com a duração do “instante”, que pode ser expandido e de futuro, ou simplesmente obliterado pela realidade caótica que nos transporta para lugares e espaços imprevisíveis e inesperados.

Assim, sempre que os estudantes apresentem dúvidas, questões, reclamações, sugestões, positivas ou menos positivas, comprometo-me a ouvir, refletir e agir em conformidade com as suas expetativas no quadro legal de atividade do Provedor. Entendendo que a ação do Provedor resulta da capacidade de persuasão, naturalmente emergente da qualidade como é instruído o processo e apresentada a sugestão aos órgãos e/ou pessoas competentes, é nosso objetivo que essa mesma sugestão ultrapasse a eficácia da resolução de um caso específico e, fundamente, um novo e mais eficiente procedimento global, para uma maior e melhor organização da Universidade, onde todos se sintam participantes ativos e corresponsáveis pela sua construção. Neste contexto, entendo a dinâmica da cooperação como um conceito chave, com o compromisso de que, no exercício das minhas funções farei tudo para que esteja sempre presente no meu ideário normal de procedimento. 

Nunca como agora, foi, é e será tão decisiva a participação interdependente de todos, em qualquer organização e ainda mais, se falarmos no contexto da educação universitária. A todos nós cabe a ingente tarefa de recuperar o ideal Comeniano e reclamar o direito e o dever de participação em todos os “glocais” de decisão, que complementem indissociavelmente, a construção de uma Universidade da Madeira de futuro. Enquanto Provedor do Estudante, entendo ser meu dever ético e moral, estar sempre disponível para colaborar com todos os membros da academia, na busca de soluções substantivas e eficazes, relativamente aos diversos desafios deparados, de acordo com a dinâmica do quadro legal das minhas competências.

João Gabriel Jardim Caldeira